POLICIAL

Soldado da PM vai atender reclamação de som alto e acaba morto em possível emboscada em Curitiba

PM foi morto com dois disparos, sendo um deles fatal

Paraná
Luto na PM | 07/12/2018 09h14

Soldado Erick Norio morreu nesta madrugada (Foto: Reprodução redes )
Harri mecanica

Um soldado da Polícia Militar foi morto no início da madrugada desta sexta-feira (7), enquanto atendia uma reclamação de perturbação de sossego na Vila Corbélia, Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Erick Norio, do 23° Batalhão, foi atingido com dois disparos e morreu na UPA Barigui, após 40 minutos de tentativa de reanimação por parte da equipe médica. A polícia faz buscas na CIC à procura do suspeito e não descarta a hipótese de emboscada, já que não havia nenhuma casa com som alto no local em que a equipe chegou para fazer o atendimento na Estrada Velha do Barigui, na Vila Corbélia.

De acordo com informações do capitão Araújo, comandante da 3ª Cia, do 23º Batalhão da PM, o pedido de atendimento entrou por meio do fone 190. “O soldado Norio seguiu para o local com seu parceiro de trabalho para atender este caso de perturbação do sossego, o que é bem comum, principalmente na CIC. Por volta da meia-noite, eles chegaram ao local e não notaram nenhuma casa com som alto, mas viram uma moto abandonada. Enquanto um dos policiais levantava as informações no sistema, o capitão Norio desceu para verificar o local. Foi neste momento que uma pessoa, escondida atrás de um carrinho de reciclável, efetuou dois disparos que acertaram o soldado”, informou o capitão, nesta sexta-feira.

O soldado Norio foi atingido com um tiro no colete balístico e outro do pescoço, que acabou sendo fatal. O parceiro dele, assim que viu o amigo ferido, o colocou na viatura e seguiu até a UPA Barigui. “Houve parada cardíaca e os médicos tentaram reanimá-lo por cerca de 40 minutos, mas sem sucesso. A Polícia Militar do Paraná está de luto hoje”, lamentou o capitão.

Cerco

As polícias Civil e Militar fazem um grande cerco na CIC desde a madrugada para prender o suspeito dos tiros. Segundo o capitão Araújo, a polícia não descarta a hipótese de emboscada. “Não descartamos nenhuma hipótese, inclusive a de uma possível emboscada. Tudo está sendo levantado”, completou.

Erick Norio  estava há cinco anos na Polícia Militar do Paraná, integrando o 23° Batalhão. Ele deixou esposa e um filho de quatro anos.

Com informações de Banda B


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp